quarta-feira, 16 de maio de 2007

Me amo e sou correspondida

A vida tem a cor que a gente pinta

Sempre digo isso porque é assim que eu acredito. Tem dias que pintamos nossos dias tão negros que até nós mesmos não nos suportamos. Aquele dia nada dá certo, não conseguimos ser feliz e ainda se chorarmos melhora um pouco, o duro é quando com a nossa infelicidade queremos ver os outros infelizes também. Aí então é o caos mesmo.

Já o dia que quando acordamos lembramos de olhar o dia, falar Bom dia, dia, olhar a nossa volta, valorizar o que estamos vendo, agradecer pelos bichos de estimação, conversar com eles, ter carinho por onde mora, ficar feliz por não sentir nenhuma dor e quando sentir não valorizar e nem levar a sério, nesse dia tudo dará certo.

Acho que o importante é o agora, passado foi o agora anterior e o futuro, quem pode imaginá-lo? Vc já viu algum futuro dar tudo igualzinho vc pensou? Então pra que ficar imaginando, principalmente quando sua cabeça for negativa, pensar só em coisas ruins, aí então vc sofre com a imaginação que pode nunca acontecer.

Quando minhas filhas começaram a sair para noitadas, eu não dormia, aí um dia parei e pensei:
-Se eu não dormir, caso aconteça alguma coisa eu não vou estar forte pra agir, então agora durmo que me acabo.

E é assim que eu procuro agir todos os dias, uns eu não consigo e quando não consigo fico elucubrando sobre o que está me puxando pra baixo.

Confesso que dias nublados é sempre mais difícil que dias ensolarados. Adoro o sol e na minha idade é fundamental. To “numidade” que os problemas de junta sempre aparecem.

Fico observando as pessoas e acho que ou eu sou débil mental ou eu sei viver. Quando vejo vitrine não gosto de nada que não posso comprar e acho liiiiiiiiiiindo só o que compro.

Com a idade o maior inimigo nosso é o espelho, então por isso me olho o menos possível nele. Uma vez uma amiga disse:
-Eu me olho no espelho nua e me acho horrível. Então eu disse:
-Porque vc olha então?

Pra mim isso é burrice, ou então QUERER sofrer. Temos de nos olhar quando estamos prontas para sair. Olhar frente e costas, porque uma amiga minha não olhou as costas e saiu com a saia presa na calcinha atrás. A “infeliz” estava com uma calça daquela cor de rosa de algodão grandona e ia passar em frente do programa do Chacrinha. Sorte que o porteiro do prédio correu e avisou. Nunca mais olhou nos olhos dela de vergonha, mas que avisou, avisou.

Adoro solidão, gosto da minha companhia. Não vejo nenhum problema em estar só. Gosto da companhia de amigos, mas como sou aposentada e todos ocupados, geralmente fico “na minha”. Leio, escrevo, vou pra Internet, gosto de fazer quitutes, assisto alguns programas de televisão, converso muito com meus bichos, enfim vivo muito bem comigo.

Me amo e sou correspondida.


SOLIDÃO
Texto de Francisco Buarque de Holanda.

Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo..... isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar...
isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos...
isto é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida...
isto é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...
isto é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma.

2 comentários:

Kika disse...

Também te amo, mammy. E sei que sou correspondida.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.